A fogueira de São João: Atenção povo brasileiro. Nossos congressistas, nossos amados deputados e senadores aprontaram mais uma. Esta é difícil de acreditar, mas é a mais pura verdade, aliás, dita pelos próprios, para quem quiser ouvir. Vejam só. Estão lá nossos mui caros representantes no Congresso Nacional a votar a Reforma Administrativa e deveriam continuar os trabalhos até o final de junho e depois, em julho, viria o recesso parlamentar. Mas não vai ser assim não. Semana que vem já não vai haver mais nada, vão parar tudo. Sabem pra que? Por causa das festas juninas. Isto mesmo, pasmem, o Congresso Nacional vai parar por causa das festas juninas. Só que depois os deputados e senadores vão trabalhar (que trabalhar coisa nenhuma), em sessão extraordinária, em julho, para continuar a votação da Reforma Administrativa e aí é que vem o melhor. Vão ganhar extra: R$ 16 mil mais os R$ 8 mil do salário normal dá R$ 24 mil no bolso de cada um. Êta São João bão, sô!!!

Em qualquer país do mundo, só isto já seria motivo suficiente para o povo cair de pau e pedra no Congresso, botar para quebrar, mesmo. Só que no Brasil o povo está igual a mulher de malandro, já perdeu a vergonha de tanto apanhar e nem sabe mais reagir. Pobre Brasil, até quando vamos ter que aguentar esta corja de políticos que não têm a menor vergonha e só pensam em se aproveitar do dinheiro público, em se arrumar, no pior sentido da palavra?

E a coisa vai só se alastrando. O exemplo de cima é seguido por quem está mais embaixo. Se o Congresso Nacional pode, por que não pode a Câmara de Vereadores? E aí os vereadores pensam: o que podemos bolar pra gente se arrumar? Vamos ter assessores. Oba, eu vou chamar minha mulher. Eu vou trazer meu filho. Pôxa, tá na hora de ajudar aquele meu amigo que está na pior. Vamos gastar, vamos nomear, vamos aumentar nossa renda, que beleza gente, o dinheiro é do povo. Como o povo é bom, não é???

E pra finalizar é bom o povo saber que é obrigação e não favor das autoridades públicas, seja do executivo ou do legislativo, a de promover concurso para preenchimento dos cargos públicos. Está na Constituição e não fica à escolha do Governador, do Prefeito ou do Presidente da Câmara, é obrigação legal e por isto não pode ser usada como meio de promoção política.

Um abraço e até a próxima.