Eu também quero ir para Manaus. Tá lá, no Diário de Itabira, manchete de primeira página. Dezesseis dos nossos queridos vereadores, inclusive alguns que nem se reelegeram, estão de malas prontas para voar para Manaus. Diz o jornal que vão participar de um congresso, durante quatro dias, tudo à custa do povo de Itabira. Imaginem vocês, em final de mandato, vereadores que nem vão voltar para a Câmara, se mandam para um congresso lá no Amazonas. Não tem o menor sentido. Diria nosso Boris Casoy doméstico, na TV Cultura de Itabira: Cáspite!! Que dia, hein??

Apenas três vereadores não iriam. Pastor Messias, Zé do Cachimbo e Maria José Pandolfi. Viva!! Agora vejam bem, um dos temas do tal conclave é exatamente a “Responsabilidade no Final do Mandato”. Coincidência. Melhor seria se o tema fosse a “Irresponsabilidade no Final do Mandato”. Aí vocês diriam: Só no final?

Pior é que todos sabem que a Prefeitura está em regime de contenção de despesas há mais de dois anos. Que o prefeito baixou um decreto proibindo os funcionários de participarem de cursos, congressos, etc. Quem quiser ir, vai, mas paga do próprio bolso. Só que a nossa admirável Câmara Municipal é diferente, é outro poder, parece que nem é daqui. Será de outro país? E lasca dinheiro na fornalha, só que esta grana sai mesmo é do nosso bolso.

Não dá para entender como é que nós vamos pagar para os quase ex-vereadores se mandarem lá para Manaus e depois do que aprenderem no congresso, nem estarão mais na Câmara. E aí? Vão aplicar os ensinamentos onde? Em casa? Ou será que dá para entender?

Vereador não reeleito, em final de mandato, participar de congresso, com recursos do erário, pode até ser legal, mas que é imoral, isto lá é. Conclusão: Pode cair avião o quanto quiser (ou, não importa que a mula manca), eu quero é rosetar!!!

Um abraço e até a próxima.

Crônica de 1996