cronica_semana_65_perfil_facebookLeio no Diário de Itabira que o vereador Pastor Messias quer saber porque a Cisne ainda continua tendo o monopólio do transporte público em Itabira, que dura 32 anos. Diz o vereador que vai bater neste assunto até que o executivo tome uma providência.

Cá pra nós, o vereador tem toda a razão. A população de Itabira tem o direito de saber o que está acontecendo. Saber porque nunca se fez uma licitação para o serviço de transporte público coletivo em Itabira. Aliás, só se fez uma, em 1968, que a Cisne venceu e nunca mais se fez outra. A gente sabe que já aconteceram algumas prorrogações de contrato meio mágicas. Agora, o que se deve perguntar é se esta empresa que está prestando serviços há 32 anos, que tem tido o monopólio do transporte coletivo, tem atendido à população dentro do figurino, como manda a lei. Será? Me perdoem os que pensam que sim. Eu acho que o povo merece e pode ter um serviço melhor.

Ora, quem concede o serviço é o município e só ele pode tirar e entregar para outro prestador, através de concorrência pública. Aí está a solução. Abre-se a licitação e apresentam-se os interessados. Se a Cisne atender às exigências para prestar o serviço e ganhar, tudo legal, ótimo, vamos prestigiar gente nossa. Caso contrário, cumpra-se a lei.

E já ouvi dizer que a nossa Câmara pediu e o Executivo deu uma prorrogação de contrato para a Cisne no governo passado. Isto é, o contrato da Cisne já deveria ter se acabado e ela ganhou mais cinco anos. Se assim foi, é bom agora que um vereador se lembre de sua missão de defender o interesse da população e levante o problema. Só espero que não se trate apenas de retaliação política, briga partidária particular. Vamos ver.

Até a próxima.