cronica_semana_63_perfil_facebook

Falei, em uma de minhas crônicas, que estávamos precisando de criar, com urgência, a Associação dos Itabiranos Indignados, que será o canal para expressar nossa indignação, nossa raiva, nosso inconformismo, em relação às coisas, pessoas, entidades, organizações e situações que provoquem a justa ira do cidadão itabirano.

Acho que vale a pena insistir na ideia, uma vez que o cidadão comum, em geral, não tem vez e nem voz quando quer expressar sua indignação. E quando acontece de poder expressá-la, quase sempre o faz sozinho, num grito solitário que se perde, ninguém o ouve. Se o fizesse em conjunto, através da associação, o efeito seria outro, seria ouvido com certeza. E mais uma razão para justificar a associação é a existência, inegável, de tanta indignação espalhada por aí, pedindo para ser ouvida, pedindo para ter voz. Vamos nos indignar juntos e seremos ouvidos.

Expressar sua indignação, extravasar sua justa ira, é dever cívico do cidadão. Homens, mulheres e crianças, todos têm este direito, mais do que isto, um dever. Eu, por mim, já considero criada a Associação dos Itabiranos Indignados e espero o apoio de vocês para darmos início Às providências de praxe, elaboração de estatutos, etc, etc. E para exercer este sagrado direito referente ao estado indignatório, raivoso e irado, vamos atacar esta baboseira, esta coisa ridícula destas mensagens volantes levadas por estes veículos, estas caixas de som ambulantes de “parabéns pra você”. A coisa é tão bestial que os homenageados, como eu já reparei, ficam morrendo de vergonha, implorando para tal homenagem terminar rapidinho. E para azucrinar mais a gente, o berreiro do som, a cento e não sei quantos decibéis, quase sempre com músicas horríveis e mensagens paranoicas. Que coisa mais chata, meu Deus.

Mudando o enfoque da conversa, sabemos que ninguém anda acreditando muito ou quase nada na nossa justiça, tanto os descalabros e falcatruas que continuam impunes neste Brasil. Entretanto, em certos momentos, enxergamos uma luz no fim do túnel, quando ficamos sabendo da iniciativa da Justiça Federal de Belo Horizonte, criando uma tribuna popular em frente ao seu fórum, na capital mineira. Isto sim é coisa de gente civilizada, de pura democracia, como na Grécia antiga e em países do primeiro mundo. De outro lado, já aqui, em Itabira, a acertada e esperada decisão judicial que manda colocar em licitação o transporte coletivo. Até que enfim, faz-se a justiça.