cronica_semana_48_perfil_facebookVejam os jornais, a coisa está ficando complicada a cada dia que passa. Ao que parece, a privatização da Vale já é assunto mais do que decidido na área governamental. E aí, como é que fica? Quem responderá para Itabira? Ficaremos, mais uma vez, sem resposta? Há poucos dias li em um dos nosso jornais domésticos a seguinte baboseira, fechando um editorial: “… que Itabira sempre foi vencedora em seus pleitos…” Maior mentira de quem escreveu, porque o que tem acontecido é justamente o contrário, Itabira, com raríssimas exceções, tem sido sempre uma perdedora. Ou estou falando mentira? Delegacia de Ensino, onde é? Nova Era. Regional de Polícia, onde é? Monlevade, etc, etc.

Agora, agorinha mesmo, vai começar outra batalha, a luta contra a privatização da Vale, luta que não será minha, pois sou favorável à privatização. Respeito, entretanto, a posição daqueles que entendem que a Vale deve continuar estatal. É coisa superada, mas vá lá. Como dizia, outra batalha começa agora, contra a privatização, unindo vários segmentos, instalando fóruns permanentes, motivando a opinião pública, com a quase certeza de que será mais uma luta perdida, como tantas outras. Não é para desanimar ninguém não, é que entendo ser outro o caminho, outras as reivindicações nesta hora. Tudo bem, Dr. Fernando Henrique, quer privatizar a Vale, não? Então mande quem comprar a Vale repor a Itabira tudo aquilo de que a cidade é credora, depois de anos e anos de atividade predadora, vão ficar os buracos e a paisagem agredida. Este o passivo que está aí para ser resgatado e que ninguém quer pagar.

Mas tem uma outra coisa que quero falar. Por que será que perdemos sempre? Será o destino? Será que tem caveira de burro enterrada em algum lugar da cidade? Há anos que ouço isto. Deve ser a caveira de burro. Ou será por que não sabemos gritar, dar bronca mesmo, sair para o pau. Vou repetir aqui uma frase que foi escrita pelo poeta / escritor / psicólogo itabirano Wolber de Alvarenga, há mais de trinta anos passados e me desculpem se alguém se ofender: “o itabirano só sabe gritar em campo de futebol…” Em trinta anos, nada mudou… É só ver nossa ilustre câmara de vereadores, que devia ser um exemplo nesta hora, completamente baratinada, mais preocupada com retaliações e promoções pessoais, do que com Itabira. Pobre cidade. Mais uma vez, não vai dar. E por nossa culpa, nos acostumamos a ser cordeiros, nunca chegaremos a lobo. Acorda, gente!

Um abraço e até a próxima.