cronica_semana_44_perfil_facebookMeus amigos e amigas, chegamos à reta final desta campanha eleitoral. Lembro-me bem do início da campanha, quanta especulação se fazia sobre qual seria o nível da campanha. Havia no ar uma certa expectativa de que o nível baixasse, com ataques e acusações pessoais, retaliações e por aí fora.

No final, em uma rápida avaliação, chega-se à conclusão de que não aconteceu a baixaria que se esperava, pelo menos até agora. Pelo contrário, a campanha se manteve em bom nível. Aliás, foi uma campanha meio morna. Salvaram-se os debates pela TV que até valeram muito para o eleitor avaliar o desempenho dos candidatos, isto para quem teve acesso à TV. Pena que só foram dois debates, ficaram devendo um terceiro, pelo menos.

Na minha opinião, os debates dão o real perfil de um candidato, muito mais do que qualquer comício. Aliás, os comícios já não têm mais o menor sentido político. Transformaram-se em áreas de lazer, de shows, de bebidinhas e tira-gostos. Como instrumento de campanha já não significam mais nada, ao contrário do que acontecia tempos atrás quando ainda dava para avaliar as chances de um candidato pelo volume de público que comparecia nos seus comícios. Hoje, isto é irrelevante, pois todo mundo vai só para curtir o programa. Aí é que o debate é o melhor termômetro da campanha. É onde o candidato se expõe, mostra a sua verdadeira figura, fica quase nu na frente dos eleitores.

Neste ponto tem de ser feita uma crítica aos debates promovidos pela TV Cultura de Itabira. Talvez por falta de experiência ou por medo de perder o controle e a coisa descambar, o mediador não deixava os candidatos se soltarem, qualquer coisa e lá vinha o corte. Tinha mais era de deixá-los se perguntarem, deixar o debate correr para sentir o comportamento de cada um na hora do cara a cara. Garanto que ia sair coisa. Mas fica para a próxima.

Pois bem, são considerações ditadas pelo clima das eleições, que, no fundo, têm uma mensagem para vocês: avaliem, pensem no comportamento de cada candidato e votem, lembrando que Itabira merece e pode ser feliz. Um abraço e até a próxima.