cronica_semana_04#_blog

Abro os jornais da semana e lá está ela, a pasta rosa. No que eu bati o olho e lá estava, novamente, a pasta rosa. Perguntei para o vizinho, o que te lembra a pasta rosa? Não se lembrou. Eu sim me lembro bem. Era uma pasta usada para clarear panelas. Isto mesmo, panelas. Vinha em uma lata meio rosa meio avermelhada e com o nome na tampa: pasta rosa. Era gostosa de pegar e tinha um perfume agradável. Esta, a pasta rosa que eu conhecia.

Acontece, porém, que a pasta rosa falada nos jornais era uma outra, não era a que eu pensava. A cor era igual, mas o perfume e o uso são muito diferentes. A que falam nos jornais cheira mal, cheira a bandalheira, a maracutaia da brava. Quem é que levou o dinheiro do Banco Econômico, quais deputados e senadores? Lá dentro da pasta rosa, estão os nomes dos contemplados com as gorjetas e favores do banco do Ângelo Calmon, inclusive o do ACM.

Gozado como os políticos e banqueiros estão sempre se ajudando, a mão de um lavando a mão de outro e assim, “de mãos limpas”, vão rumo ao futuro, de mãos dadas, onde serão devorados por dois tigres em pleno centro de Itabira. Só vai sobrar o Comandante Assunção que foge em um jato da Líder…

Enquanto isto, a pitonista com sua voz rouca e sensual continua anunciando o vendaval político de Itabira, pouco ligando se o Fernando Henrique volta direto da China para o Brasil ou faz escala no sul de Sumatra, onde deixará, para sempre, a Lucélia Santos.

Um abraço, pessoal, e até a próxima.